Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


De volta?

por SS, em 12.08.13

Tenho tido alguma vontade de voltar a escrever. Depois de tanto tempo, a pancada voltou. Pancada ou necessidade, seja o que for.

Pouco há a dizer do tempo que se passou entretanto. De volta ao desemprego e à "vida vadia". Apenas isso.

 

Fica, por hoje, apenas este post. Pode ser que me dê o ímpeto que preciso para continuar. Logo se vê.

Obrigado a todos os que, apesar da minha ausência, têm visitado o blog.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 01:53

Aquele momento..

por SS, em 13.03.13

Aquele momento em que um dia de merda acaba por se tornar um dia feliz..

 

Gosto!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:04

Pegar a Vida pelos Cornos

por SS, em 20.02.13

Gostava de ser daqueles gajos cheios de atitude, que pegam a vida pelos cornos.

 

Não sou. Sou um gajo fraco, cansado, sem perspectivas de futuro e também sem grandes objectivos.

Produto, talvez, de alguns anos de desemprego e trabalho precário.

 

Sou o esterótipo do comum "vadio".

Gosto de passar os dias no café a beber minis e a fumar ganzas.

Gosto de sair à noite, até de manhã, e encher-me de álcool, ganzas e coca.

Sou o gajo que entra num café e as pessoas olham de lado e comentam.

Sou o gajo que vai a uma entrevista e é quase automaticamente excluído. Tatuagens e piercings assustam os empregadores.

Julga-se o aspecto da pessoa e não as suas capacidades ou o seu currículo.

 

Sem álcool e sem droga, a vida assusta-me. Assusta-me cada vez mais.

Estamos a atravessar um período de pura desumanização do ser humano. 

Período em que um pedaço de papel e o seu valor sobrepõem o valor da vida.

Ao fim de umas minis ou um jarro de vinho tinto, ao fim de umas ganzas, a vida deixa de me preocupar. 

Todas as preocupações que me fazem crescer os cabelos brancos desaparecem. Ficam ocultas na minha mente, mas sempre prontas a chegar-se à frente à mínima oportunidade.

 

Poucos sonhos tenho e não tenho  objectivos de futuro.

Tudo o que quero é a felicidade dos meus. Não a minha. Só a deles.

 

E faltam-me forças, falta-me atitude para pegar a vida pelos cornos.

Falta-me coragem! 

E falta-me, acima de tudo, dinheiro.

Dinheiro para tornar realidade os poucos sonhos que se mantêm na minha cabeça desde criança.

Sonhos que a vida, o álcool e a droga se encarregam de destruir.

Sonhos que não passam disso mesmo. Sonhos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:50


Shiny Stat




Pesquisar

Pesquisar no Blog